Dieta – (Qualidade de Vida 1 - QV1) 

Definição
Alimentação saudável
Itens Importantes
Conclusão

Artigos Correlatos:

Atividade Física (Qualidade de Vida 1)
Balanceamento da Dieta (Qualidade de Vida 2)
Combate ao Estresse (Qualidade de Vida 3)
Descanso e Sono (Qualidade de Vida 4)


Definição

Ao falar em dieta a maioria das pessoas pensa imediatamente em “passar fome”. Mas isto não é verdade. De acordo com o Dicionário Aurélio, dieta é a “ingestão de alimentos habituais, ou aquela que se faz visando preencher as necessidades específicas de um indivíduo, incluindo ou excluindo certos itens de sua alimentação”.

Vamos mostrar, neste artigo, as linhas gerais de uma dieta saudável. Casos especiais necessitam dietas especiais e precisam da orientação de um médico (de preferência um nutrólogo ou um endocrinologista) ou de um nutricionista.

Antes de tudo precisamos diferenciar alimentação de nutrição. Grosso modo podemos dizer que se alimentar significa apenas “comer qualquer coisa”. Levando este raciocínio adiante podemos dizer que um indivíduo bem alimentado não significa, necessariamente, bem nutrido. Bem nutrido seria o indivíduo que se alimenta de todos os ingredientes necessários ao organismo, isto é, aqueles que oferecem quantidades balanceadas de nutrientes, que são carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas, minerais e fibras.

É interessante salientar que não existe nenhum alimento completo, nenhum alimento que contenha todos os nutrientes necessários para uma vida saudável.

Alimentação saudável

Cabe lembrar que a refeição deve ter certo ritual, a começar pelo local da refeição: deve ser calmo, com iluminação adequada, sem ruídos em excesso, numa posição confortável. Outra coisa importante: o alimento deve ser saboreado, mastigado com calma, e não apenas engolido rapidamente. O cérebro precisa “tomar conhecimento” da quantidade de alimento que está chegando ao estômago, para que a pessoa sinta-se satisfeita e não coma em excesso.

Como orientação, e do ponto de vista didático, vamos mostrar quatro regras básicas de uma alimentação saudável.

1ª Regra – Faça seis refeições por dia (uma refeição a cada três horas, em média, durante o período em que a pessoa está acordada): 

- Café da manhã: deve ser a principal refeição. Seria o famoso “café colonial”. O café colonial deve ser feito pela manhã, assim como fazer os colonos. Tomar café colonial à tarde, pior ainda à noite, é um “pecado” do ponto de vista da nutrição.

- Almoço: coma primeiro as saladas e depois os demais alimentos. O almoço deve ser um “almoço de artista”: salada, cereal, proteína, tudo discretamente em quantidades... e pronto! Sobremesa? Uma fruta é admissível, ou até aconselhável, e a partir daí nada mais.

- Jantar: faça uma refeição superleve. Seria um “jantar de mendigo”. Comer pouco, pouco mesmo.

- Três lanches (manhã, tarde e noite): de preferência com frutas ao natural ou sob a forma de sucos; assim seriam três frutas por dia. Pode ser também iogurte desnatado ou barra de cereal ou mesmo uma refeição básica com café com leite e uma fatia de pão com geléia sem açúcar.

2ª Regra – Procure alimentos com baixo teor ou sem gordura, sem açúcar refinado e pouco sal. Prefira os alimentos integrais: arroz, farinha de trigo, açúcar mascavo, macarrão.

3ª Regra – Ingira pelo menos dois litros de líquidos por dia (ou mais corretamente 30 ml/kg; então uma pessoa de 70 kg deveria tomar 2,1 litros de líquidos por dia). Os líquidos devem ser ingeridos nos intervalos das refeições.

4ª Regra – Invente. Dieta pobre em calorias não é sinônimo de dieta sem gosto: use ervas e temperos, misture frutas nas saladas, use azeite de oliva extra-virgem  e vinagres.
Itens Importantes

Além de uma dieta saudável há necessidade de se estar atento para dois temas de altíssima importância: atividade física e estresse.

Pratique regularmente a atividade física. Qualquer atividade física. Escolha uma que você goste, pois a atividade física deve ser praticada com gosto. Pratique no mínimo três vezes por semana e sempre em torno de uma hora por dia. É aconselhável a orientação especializada de um profissional, numa academia de educação física de sua confiança. Veja o Artigo Atividade Física.

Para combater o estresse não há uma receita específica. O uso de uma dieta saudável, conforme mostrado acima bem como a prática de uma atividade física, já ajudam a combater o estresse. Quando a pessoa consegue identificar a causa do estresse fica mais fácil um pouco. Procure eliminar a causa e não conseguindo, ou quando não se consegue determinar, há necessidade de procurar ajuda de um profissional (um médico psiquiatra ou um psicólogo, conforme o caso). Veja o Artigo Estresse.

Conclusão

Concluindo, chamamos a atenção para a importância da tríade ABC: “Atividade física regular”, “Balanceamento da dieta”, e “Combate ao estresse” para uma vida saudável, mais longa e mais feliz.

Atenção!

Esse texto não substitui uma consulta ou acompanhamento de um ou vários profissionais e não se caracteriza como sendo um atendimento.